Roteiro de 6 dias em Buenos Aires

Buenos Aires é uma das 20 maiores cidades do mundo e um dos principais destinos procurados por brasileiros para turismo, por ser uma viagem internacional mais próxima e com várias opções de passeios. A capital argentina foi aquele caso de cidade que superou minhas expectativas com louvor! Já ouvia falar muito bem de Buenos Aires, porém, quando terminei a viagem sai com as melhores impressões possíveis e com a certeza com a ideia de quero voltar por lá em breve!  :heart: 

Onde ficar?

Muitos turistas ficam no Centro por ser próximo de vários pontos turísticos, facilitando bastante o deslocamento durante o dia. Porém, não é um bairro bonito e, durante a noite a região fica muito esquisita e não tem muitos restaurantes próximos.

Nossa escolha foi se hospedar na Recoleta, pela beleza do bairro, com várias opções de restaurantes próximos e uma região mais segura também. Depois que conhecemos Buenos Aires, ficamos encantados com o bairro de Palermo e com certeza em uma próxima vez me hospedaria por lá!

Bem, ficamos em um apart-hotel, o Ayres de Recoleta Plaza. A estrutura dele era muito boa, sendo o quarto bem grande e confortável, com uma salinha e uma mini cozinha toda equipada. Recomendo demais para quem optar se hospedar no bairro, ele é super bem localizado. Fizemos a reserva pelo Booking, vocês podem encontrar aqui ou clicar no banner do booking ao lado, ajudando nosso blog. :happy: 

Foto retirada do Tripadvisor
Foto retirada do Tripadvisor

O café da manhã era opcional, preferimos comer todos os dias fora, mas a cozinha dava tranquilamente para comprar no supermercado e tomar café da manhã sem maiores custos. Tinha uma opção ótima que fomos quase todos os dias, o Le pain quotidien, padaria famosíssima internacionalmente e que ficava no Recoleta Mall, super pertinho do nosso hotel. Uma maravilha! Também optamos por tomar café da manhã no Starbucks, que também era localizado no Recoleta Mall.

 

Que transporte utilizar?

Achei Buenos Aires excelente para caminhar entre os pontos turísticos, você vai conhecendo a beleza da cidade. Nessas idas e vindas encontramos vários parques pelo caminho, surpresas muito agradáveis!

Nas distâncias maiores, utilizamos o uber e foi perfeito! Buenos Aires é famosa por ter problemas sérios com os taxistas, eles dão notas falsas, trocam sua nota por uma de valor menor e dizem que você pagou errado, alteram taxímetro, enfim, só perrengues!! Então, é melhor pular fora e evitar. Foi o que fizemos e deu super certo.

Em relação ao metrô, como ficamos hospedados na Recoleta, ainda não há linha próxima de lá, então não valia a pena pra a gente. Caso tenha perto de onde você vai ficar, já vi vários elogios do metrô de Buenos Aires, que é fácil, rápido e vai te ajudar a economizar.

 

O que fazer?

1º dia – Chegamos já tarde e só demos uma volta na vizinhança, 

2º dia – Foi programado para conhecer o centro histórico da cidade e começamos nosso passeio tomando café da manhã no tão conhecido Café Tortoni. O lugar é realmente muito bonito e a comida estava uma delícia, principalmente a torta que pedimos. Acho uma boa idéia começar o dia assim, bem abastecido e já visitando um local turístico. 2 em 1! rsrsrs.

Café Tortoni
Detalhes do teto do Café Tortoni
Local de apresentações de Tango dentro do Café Tortoni. Vi comentários que é bonita e o preço é mais acessível.

A próxima visita foi à Plaza de Mayo, praça onde fica localizada a Casa Rosada, sede da Presidência Argentina. A visita guiada à Casa Rosada é gratuita e pode ser feita aos sábados, domingos e feriados. É necessário fazer um agendamento prévio pelo site, com um máximo de 15 dias de antecedência. Nós não fizemos a visita pois não fomos no final de semana, mas os comentários que vi dizem que vale a pena!

Casa Rosada

Continuamos nosso turismo e fomos nas Galerias Pacífico, muito conhecida pela sua arquitetura, com sua cúpula que chama atenção pelo requinte, além disso é repleta de obras de artes em seu ambiente. Fica localizada no cruzamento entre a Av. Córdoba e a Rua Florida, importante ponto de Buenos Aires. Além de toda sua beleza que já vale a visita, a Galeria possui diversas lojas que atraem o turista.

Galerias Pacífico
Galerias Pacífico

Bem próximo, fica localizado o Obelisco,  um dos monumentos históricos mais importantes da cidade. Foi erguido na Praça da República, no cruzamento das avenidas Corrientes e 9 de Julio, em comemoração ao quarto centenário da fundação de Buenos Aires. Aproveitem para observar a Av. 9 de Julio, uma das mais largas do mundo.

Letreiro de Buenos Aires localizado junto ao Obelisco
Obelisco

O Teatro Cólon funcionou de 1857 até 1888 na sua primeira sede, ano em que foi fechado para a construção de uma nova sala, a qual foi inaugurada em 1908. É considerada uma das salas de óperas mais importantes do mundo. Infelizmente não conseguimos fazer a visita pois já havia terminado o último horário, mas quem tiver a oportunidade pode checar antes no site todos os horários de espetáculos e visitas.

Teatro Cólon

3º dia– Dedicamos o dia de visita a Palermo, um bairro que me surpreendeu e virou minha paixão na cidade! Inicialmente, fomos conhecer os Bosques de Palermo, oficialmente chamado de Parque 3  de Febrero. É uma imensa área verde de 370 hectares e é considerada a mais importante de Buenos Aires, sendo a área de lazer muito apreciada pelos habitantes locais e um lindo ponto turístico. Fazem parte dele atrações muito conhecidas, como o El Rosedal, o Jardim Japonês, o Jardim Botânico, o Zoológico e o Planetário.  Esse “complexo” realmente é encantador e com certeza é um dos passeios mais bonitos na cidade.

O El Rosedal possui uma coleção de mais de 18.000 rosas e um lago em torno dele. Em 2012, o El Rosedal comemorou seu centenário (1914-2014) e recebeu o prêmio internacional “Jardim Excellence Award“. Visitei Buenos Aires no final de junho e, apesar de ser inverno, havia muitas flores e um verde exuberante. Imagino na primavera como deve ser mais maravilhoso ainda! É muito bem cuidado e fica ainda mais charmoso com as pontes e lagos que o cercam. E melhor ainda, é gratuito 😉

El Rosedal
El Rosedal
El Rosedal
El Rosedal
El Rosedal
El Rosedal

Visitamos também o Zoológico, que foi fechado no final de 2016 para transformar o lugar em um ecoparque e remover os animais para lugares mais apropriados ao seu bem-estar.

Zoológico em Buenos Aires

O Jardim Japonês foi criado pela comunidade japonesa de Buenos Aires e se destaca pela sua tranquilidade e beleza, sendo um dos pontos mais adorados pelos turistas. A entrada custa 95 pesos, cerca de R$ 18 reais, mas vale demais. A dica é para o restaurante japonês que fica dentro do Jardim (somente tem acesso quem paga a entrada). Não é um restaurante barato, também pelo fato de comida japonesa ser normalmente já mais cara. Porém, valeu cada centavo pra nós, os sushis estavam deliciosos!! 

Jardim Japonês
Jardim Japonês
Jardim Japonês
Jardim Japonês

De todos as atrações dos Bosques de Palermo que visitamos, achei o Jardim Botânico o menos atraente. Acho que pelo fato de que quando penso em Jardim Botânico, penso em flores, um colorido. E não vi nenhuma nele. Hahaha. Também não era tão bem cuidado e já conheci jardins maravilhosos (como o de Curitiba, Rio de Janeiro). Recomendo começar então a visita por ele, porque ai você começa pelo mais simples e não se decepciona tanto. Rsrsrs

Jardim Botânico
Jardim Botânico

Buenos Aires tem vários museus, porém não estávamos muito focados nesse tipo de programação. Nossa opção foi conhecer um deles, o Museu de Arte Latinoamericano de Buenos Aires (MALBA), por ser um dos principais museus de arte moderna da América Latina, dedicado à arte latino-americana do século 20. O espaço é muito bonito, reúne coleções, pinturas, fotografias, entre outras artes, muitas fugindo do tradicional e tornando o museu atrativo para os turistas. Se você não quer deixar de fora uma opção cultural, indico demais a visita ao MALBA. Ele fica localizado também no bairro de Palermo e a entrada custa 75 pesos, cerca de 14 reais.

Na entrada do MALBA (A bailarina aqui morreu de amores! :heart:)
Obra Abaporu de Tarsila do Amaral no MALBA
MALBA e sua arte moderna
Árvore dos desejos localizada na parte externa de exposições do MALBA

 

No meio da tarde fomos visitar Palermo Soho, uma área do bairro totalmente moderna e descontraída, com uma opção enorme de lojas, conhecidas por seu diferente design de estilistas locais. Além disso, há várias lojas de decoração, roupas, tudo bastante moderno e diferente do que vemos em outras partes de Buenos Aires. É conhecido pela ampla gama de restaurantes, de todos os tipos e preços, se tornando um pólo gastronômico da cidade. Palermo Soho está delimitado entre as avenidas Santa Fé, Córdoba, Scalabrini Ortiz e Juan B. Justo, dentro do bairro de Palermo (o maior da cidade de Buenos Aires). O ponto principal do bairro é a Plaza Serrano e dali você pode percorrer as ruas ao redor. Ficamos encantados com a energia do bairro e com tudo que ele oferece, com certeza Palermo ficou marcado como um bairro de Buenos Aires que quero explorar mais em uma próxima visita e quero ter a experiência de me hospedar por lá!

4º dia- O dia iniciou com o turismo em um bairro na periferia de Buenos Aires, o La Boca. Ele surgiu e se desenvolveu através de imigrantes que desembarcavam pelo porto em La Boca e dos marinheiros que ali trabalhavam.  Fomos de uber e descemos exatamente em frente ao Caminito. Alerto para ter cuidado no bairro de La Boca, que é perigoso e já houve diversos relatos de assaltos a turistar. Procure andar apenas pela avenida principal, do Caminito ao Estádio La Bombonera, que é bem policiada. 

Na área onde hoje está o Caminito, em 1898 passou a linha do trem (você ainda consegue ver uma linha de trem por trás das casinhas). Em 1928, a ferrovia fechou, e o terreno foi abandonado. Em 1950 um grupo de imigrantes que moravam por lá, entre os quais estava o famoso pintor Boca Quinquela, decidiram restaurar o terreno, sendo batizada a rua como “Caminito”. Em 1959, Caminito foi transformado em um museu a céu aberto e é de grande valor cultural e turístico para Buenos Aires.

Caminito

O Caminito é daqueles locais que geralmente as pessoas amam ou odeiam… E por que? Primeiramente, o lugar é distante de toda a área central de Buenos Aires, o bairro é perigoso e o Caminito em si é uma rua pequena com várias casinhas coloridas e… somente!! :blink: A nossa visita por lá foi super rápida, não tem muito o que apreciar. As casinhas chamam atenção nas fotos, vale parar e registrar. Dentro delas há diversas lojinhas de artesanato e também restaurantes (bem caros, do tipo pega-turista). Na minha opinião, realmente não vi muita graça. Mas tem gente que ama! Então é melhor você conferir e tirar suas próprias conclusões! Rsrsrs. Além disso, ele fica a 400m andando do estádio do time Boca Juniors, o La Bombonera, então não custa nada passar lá e conferir.

Caminito
Caminito

O La Bombonera (oficialmente Estádio Alberto J. Armando) possui capacidade atual de 49.000 pessoas. Seu apelido é uma referência a sua forma retangular, como a de uma caixa de bombons. A principal razão para isso é o pequeno espaço destinado à sua construção, iniciada em 1923. A solução super criativa encontrada pelo arquiteto foi a de criar três anéis de arquibancadas, de modo que quem assiste o jogo da terceira arquibancada tem de olhar para baixo se quiser assistir o jogo com clareza.

 O Estádio ofecere 3 tipos de ingressos:

-Acesso ao Museu (180 pesos argentinos)

-Acesso ao Museu + visita express  (210 pesos argentinos)

-Acesso ao Museu + tour no estádio (240 pesos argentinos)

Fizemos a segunda opção (express), pois o tour no estádio tem horários marcados, e o próximo demoraria bastante. A 1ª opção acho bem básica, porque já que você está la no Estádio, o legal é poder ao menos conhecê-lo, não é? A 2ª opção de ingresso permite que você acesse uma parte da área das arquibancadas e pode ver toda a La Bombonera. A 3ª opção é bem interessante e para os fanáticos por futebol, com certeza deve ser a escolhida, já que é feito um tour com o guia que vai junto com o grupo de visitantes explicando toda a história do Estádio e tem acesso a áreas específicas, como o gramado e vestiários.

La Bombonera

Depois do período da manhã no bairro de La Boca, fomos conhecer Puerto Madero, uma das áreas mais famosas e renovadas da capital argentina. É proveniente da revitalização do velho porto abandonado durante décadas, que começou a se transformar na década de 1990. Puerto Madero é um dos projetos de renovação urbana mais bem sucedidos do mundo, feito em menos de 20 anos. Foram instalados em seu entorno diversos prédios comerciais luxuosos e tornou-se um dos principais centros financeiros da cidade. O que há de mais moderno é encontrado no bairro, e morar nele virou sinônimo de nobreza. Puerto Madero faz uma homenagem as mulheres, possuindo todas as ruas com nomes de mulheres de destaque na história. 

Puerto Madero

A Puente de la Mujer (Ponte da Mulher) é um dos monumentos mais emblemáticos de Puerto Madero, sendo uma ponte giratória com um dos maiores mecanismos de viragem no mundo, projetada para permitir a passagem das embarcações que operam nas docas. O trabalho foi realizado na Espanha e retrata um casal dançando tango, onde o mastro branco simboliza o homem e a silhueta curva da ponte a mulher (Só não consegui captar essa imagem, mas o que vale é a intenção né?  :biggrin: )

Puente de la Mujer em Puerto Madero

Realmente, é de se apaixonar pelo bairro, sendo mais um pedacinho da capital argentina que ganhou meu coração :heart: É impressionante o quanto os argentinos conseguiram remodelar o lugar e transformar em uma área tão maravilhosa, tornando um lugar antes abandonado em uma das áreas mais importantes da cidade. Uma verdade lição de planejamento e excelência!

Puerto Madero

Há uma variedade grande de restaurantes, bares, lanchonetes, enfim, agrada a todos os paladares e a todos os “bolsos”. Tem também algumas lojas, deixando o lugar mais atrativo ainda. É um lugar que vale a visita de dia e à noite, para poder conhecer melhor. É um point super badalado nas noites dos finais de semanas portenhos! Dica Cantinhos no Mundo: Fomos almoçar no restaurante La Cabaña, e por ser uma  quarta-feira por lá tinha uma promoção maravilhosa de menu do dia, com entrada, prato principal, sobremesa e uma taça de vinho por um preço que saiu super barato (não lembro quanto foi), comparado a outros restaurantes chiques de lá. O La Cabaña era super refinado e estava tudo maravilhoso. Fique de olho se você puder ir no meio da semana por lá, sempre aparecem alguns preços convidativos.

Depois de curtir Puerto Madero, fomos andando (pense que foi uma andada boa! rsrss) em direção a Recoleta e encontramos a Floralis Genérica, um dos símbolos de Buenos Aires. é uma escultura feita de aço inoxidável, situada na Plaza de las Naciones Unidas. Uma das características da flor é um sistema elétrico que abre e fecha automaticamente  as pétalas.  Ela abre todas as manhãs às 8h e fecha ao pôr do sol, em um horário que varia conforme a estação do ano. Detalhe que esse mecanismo de abrir e fechar as pétalas está quebrado a anos, ainda assim, acho que a valeu a visita pois a escultura é muito bonita!

Floralis Generica

5º dia– Conhecemos Colonia del Sacramento no Uruguai, em um bate e volta saindo de Buenos Aires. Para saber tudo sobre como foi esse passeio tem post completo aqui no blog!

Nesse dia, fomos jantar em Puerto Madero, no bar Johnny B. Good. Amei o lugar, super badalado, comida excelente e bem variada. Indico demais, porém chegue cedo. Como fomos em uma sexta-feira, estava lotado e esperamos mais de 1h para conseguir entrar.

6º dia- O último dia foi escolhido para uma programação mais tranquila. Por mais estranho que possa parecer, o Cemitério da Recoleta é um dos pontos turísticos mais visitados da capital argentina, por possuir lápides que são verdadeiros monumentos, muito imponentes e com esculturas marcantes. Construído em 1822, o cemitério possui mais de 4.500 túmulos, sendo mais de 90 deles declarados monumentos nacionais históricos e protegidos pelo governo argentino. Entre os túmulos mais famosos, está o de Eva Perón, também conhecida como Evita, o maior nome feminino da política latino-americana de todos os tempos.

Cemitério da Recoleta

É um programa turístico meio controverso, muitos não gostam desse tipo de visita. Nosso apart-hotel ficava praticamente em frente ao cemitério, por isso resolvemos passar por lá e entender toda essa história acerca do cemitério. Muita gente indica pegar um mapinha que fica na entrada do cemitério e indica onde ficam os principais túmulos. Poréeem, quando chegamos lá não tinha e tentamos nos guiar por um mapa fixo que tinha na parede da entrada. O cemitério é enooorme pessoal, tem várias ruazinhas, uma infinidade de túmulos, rodamos e não encontramos o de Evita (o mais famoso). Mas, nos impressionamos realmente com a imponência das sepulturas, verdadeiras obras de arte! Valeu a visita pra matar a curiosidade. Rsrsrs. Pra quem tiver mais curiosidade ainda e gostar desse turismo meio mórbido, há diversas lendas e fatos na internet sobre várias pessoas que foram enterradas no cemitério e você pode encontrar o túmulo por lá.

Ao lado do cemitério da Recoleta, fica a Plaza Francia, local onde ocorre uma feirinha aos finais de semana e feriados. Se estende por toda a praça e há itens muito variados, como artesanato local para decoração, bolsas, roupas, comidas típicas, entre outros. Adorei a feirinha e achei uma ótima opção de passeio!

Fomos conhecer a Av. Santa Fé neste dia, uma das mais conhecidas de Buenos Aires, sendo considerada um dos principais centros de compra da cidade. Nela, também fica localizada um dos pontos mais visitados da capital argentina, a Livraria El Ateneo Gran Splendid. E sim, Buenos Aires é um paraíso para os amantes da leitura, sendo uma das cidades do mundo com o maior nº de livrarias e o El Ateneo é uma das mais famosas mundialmente! A livraria está situada onde, em 1919, foi erguido o teatro Gran Splendid. Os detalhes da pintura e arquitetura do teatro foram todos preservados e, no palco, onde já se apresentaram renomados nomes da Argentina, funciona o café do El Ateneo. Impressiona a beleza do local e a riqueza histórica e artística que podemos observar. Vale demais conhecer!

Livraria El Ateneo

Escolhemos voltar no bairro de Palermo Soho (:heart) como o último passeio da nossa viagem, pois como era final de semana haveria uma feirinha que tem como ponto central a Plaza Serrano (sim, amo feirinhas! rsrsrs). Se eu já tinha amado o bairro no dia que fomos durante a semana, fiquei amando 20x mais naquele dia! Gente, o bairro se transforma no final de semana, acontecem várias feirinhas espalhadas pelo bairro, galpões se abrem e montam várias barraquinhas com itens característicos do bairro, moderno, cool e diferente de tudo que a gente vê no restante da cidade. Fiquei impressionada como surgiram espaços que não havia notado antes, em que os artistas e estilistas locais instalam para apresentar e vender suas peças. Os bares e restaurantes enchem com o público local e turistas, tem música rolando e você encontra de tudo mesmo por lá! Chegamos no fim da tarde e passamos horas por lá. É sensacional a atmosfera do bairro, se tiver oportunidade vá em um dia de final de semana e se apaixone por Palermo Soho também :heart:

Dou como dica um dos restaurantes que conhecemos por lá, o La Panera Rosa. Sério, paixão à primeira vista por aquele lugar! :heart: A decoração é uma fofura (sim, toda rosinha!) e o cardápio é nota mil. Comi um crepe doce que estava perfeito e Victor comeu um sanduíche enorme e ele também adorou. Adoro conhecer esses lugares que fogem do padrão, por isso, indico demais!

La Panera Rosa

 

Dicas gerais

-Ficamos 6 dias completos em Buenos Aires e achei o tempo ideal para conhecer a cidade. 

-Vocês devem ter notado, não fomos em nenhum show de tango. Tivemos vontade, porém como os dias estavam super agitados, saíamos bem cedo e chegávamos já tarde no hotel. Ai fomos deixando pra o outro dia, pra o próximo… e não deu! Rsrsrs. Vai ficar pra a próxima ida a Buenos Aires!

-Ouço falar só coisa boa da feirinha de San Telmo. Não pudemos ir, porque não ficamos nenhum domingo em Buenos Aires, e ela só acontece esse dia. Se você estiver por lá, vale conhecer!

-O preço de alimentação em restaurante não é barato, equivalente ao preço que encontramos no Chile, Uruguai. Não foge do que já prevíamos antes de chegar lá. 

Laís  

Quer dicas sobre lugares para comer uma boa carne em San Telmo? Clica aqui e confere no blog Fui por Ai!

 

Já curtiu nosso instagram para acompanhar mais dicas? Clica aqui! 😉

Quer ajudar nosso blog? Faz a reserva pelo Booking clicando aqui ou na caixa de pesquisa ao lado! 😉

21 Replies to “Roteiro de 6 dias em Buenos Aires

  1. Deu saudade lendo este post. Buenos Aires foi nosso primeiro destino internacional em 2003. Adorei e voltamos duas vezes depois. Mas tu sabes que acho que nunca fomos no Palermo. Nossa, o que perdemos!! hehehe. Adorei o post e todas as dicas de passeios. Beijos.

  2. Tenho muita vontade de conhecer Buenos Aires, mas quando as expectativas são muito altas, por vezes regressamos a casa decepcionados. Ainda bem que não foi o caso. Post muito completo.

  3. Eu também amei Buenos Aires, ainda que eu tenha pego muita chuva na cidade durante os três dias que passamos por lá e tivemos que trocar todo o nosso roteiro por uma viagem gastronômica (não foi tão ruim rs).

    Eu assisti o show de tango no Café Tortoni, é bem bacana e o preço muito bom comparado aos outros shows da cidade.

    Infelizmente nós também não conseguimos visitar o teatro, com tanta chuva na cidade todo mundo foi se abrigar em um local fechado.

    Já sei que terei que voltar para essa cidade incrível!

    1. Mayte, realmente, fico imaginando que com chuva não deve ser fácil visitar Buenos Aires, a maioria dos passeios são ao ar livre. Realmente vocês devem ter comido bastante! Rsrsrs. Ah que ótimo ter esse retorno do show de tango do café Tortoni!! E com certeza vale a pena vocÊ voltar em Buenos Aires com o tempo ajudando mais, tem muito lugar lindo pra visitar por lá =) obrigada pelo comentário!

    1. Niki, que maravilha que gostou do post! Buenos Aires é encantadora mesmo, quero muito voltar por lá, você já tem um cantinho pra conhecer na próxima visita! Obrigada pelo comentário!!

  4. Adorei seu roteiro em Buenos Aires, estive na cidade e fiquei hospedada próxima a Rua Florida, no centro, e como você descreve, a noite é um pouco estranho. Quando retornar a cidade já tenho dicas de onde me hospedar. 🙂 Não conheci El Rosedal e através de suas fotos e descrição parece ser um lugar lindo, que quero conhecer. Anotei muito das suas dicas, para uma próxima visita! Bjs 🙂

  5. Olá Laís! Não conheço Buenos Aires, mas pretendo conhecer em breve! Este roteiro que você postou está muito completo.. as dicas são super úteis. Já favoritei aqui para uma próxima oportunidade.

    Um abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *