Santiago – Conhecendo a Capital Chilena

Santiago é uma cidade que têm várias atrações para encantar o turista que chega por lá. Fizemos nosso roteiro bem organizadinho de acordo com tudo que já havíamos lido na internet, e encaixamos nossos passeios em 4 dias completos (sem contar com o dia da ida e da volta). Todos os passeios fizemos sem agência nenhuma (com exceção da ida a Valle Nevado e Farellones), pois Santiago é uma cidade fácil de andar e com um excelente transporte público. A dica é fazer o download do mapa da cidade pelo aplicativo Google Maps, porque depois você pode utilizar o mapa para se guiar (sem precisar de internet no celular)  e chegar nos pontos turísticos. Sempre funciona muito bem com a gente, o mapa diz exatamente sua localização e à medida que você vai andando, ele acompanha perfeitamente. Assim, você chega fácil em qualquer lugar!

Para quem ainda não viu a primeira parte do post com dicas de quando ir, onde ficar, como se deslocar pela cidade e onde comer em Santiago, clica aqui e confere!

Vamos ao roteiro?

1º dia– Chegamos no nosso apartamento de, mais ou menos, 16:00h. Fomos direto almoçar/jantar no Pátio Bellavista, onde aproveitamos também para conhecer as lojinhas do local. Fica a dica que a estação Baquedano é a mais próxima para quem vai ao Pátio Bellavista.

Na volta, passamos para conhecer o Costanera Center, um dos shoppings mais conhecidos de Santiago. É onde também fica localizado o Sky Costanera (a torre mais alta da América Latina). Achei enorme o shopping e aproveitei pra comprar algumas roupas de frio. Pra quem tem curiosidade em saber se os preços são bons para comprar roupas de frio em Santiago, eu fiquei l-o-u-c-a! Hahaha. Santiago tem várias lojas de departamento gigantes e de qualidade excelente! Vale a pena sim comprar por lá.

Nesse dia, também aproveitamos para comprar um chip da antel, que eu vi ser a melhor operadora por lá. Você compra o chip e faz a ativação pelo telefone e pode recarregar também por lá. É bem fácil e não é caro.

2º dia- Programamos o dia inicial de passeios para conhecer todo o centro histórico de Santiago. Dá para visitar todos os pontos turísticos a pé e se você se programar para sair cedo vai ser um dia bem proveitoso!

Partimos para conhecer o Palácio de La Moneda, um dos principais cartões-postais do Chile, que é a sede da Presidência. Ele é aberto a visitação de segunda à sexta, mediante prévio agendamento, e é gratuito. Nós não fizemos a visita, mas vi comentários que é bem interessante. Lá acontece a troca de guardas, um desfile com música e solenidade, que ocorre dia sim, dia não, às 9h50 nos dias da semana e às 10h50 aos finais de semana, com duração de aproximadamente 40 minutos. Não ficamos para assistir pois já vimos uma troca de guardas em Londres (em breve por aqui), foi bem conturbado e não curtimos muito. Mas isso é muito pessoal, então pra quem tiver interesse, atentar para chegar antes do horário e guardar seu espacinho.

Palácio de la Moneda
Palácio de la Moneda

Aproveitamos para visitar o Centro Cultural Palácio de La Moneda, que fica no subsolo do Palácio e o acesso é por fora dele. A entrada é gratuita todos os dias até às 12h. Caso você vá em outro horário, clica aqui para verificar os preços. Tinham algumas exposições e vale a pena a visita. 

Exposição no Centro Cultural Palácio de la Moneda

As principais casas de câmbio, onde a cotação é mais vantajosa, ficam na Rua Augustinas, no trecho entre a Paseo Ahumada e a Rua Banderas, que é bem próximo ao Palácio de La Moneda. Aproveitamos para trocar logo nosso dinheiro, têm várias casas, uma ao lado da outra, e ai você escolhe facilmente a com melhor cotação.

A Plaza de Armas foi nosso próximo destino. É a principal praça de Santiago, considerada o marco zero da cidade. Foi lá que, em 1541, o conquistador espanhol Pedro de Valdívia fundou a capital Chilena. É cercada por construções históricas, como os Correios, a Catedral Metropolitana de Santiago e o Museu Histórico Nacional. Também há diversas esculturas e monumentos, sendo um ponto turístico bastante visitado. Aqui foi onde me senti insegura na cidade, há uns 84583783 “guias turísticos” oferecendo passeios, que nos incomodaram bastante!! Eles são muito insistentes, tem várias pessoas lhe abordando a cada passo que você dá e nem uma foto eu conseguia tirar em paz. Fiquei receosa também de algum espertinho aproveitar aquela situação conturbada ali e tentar furtar alguma coisa, porque não acho que seja difícil viu. Fiquem de olho! Foi o único lugar em Santiago que vi essa situação chata.

Quem tiver um tempinho a mais e quiser conhecer mais da história, pode acompanhar o free walking tour que sai da Plaza de Armas todos os dias às 10h e às 15h. São guias que não cobram um valor fixo (apenas uma gorjeta) e contam sobre a história do lugar. Eu não fiz esse tour, mas é bem indicado.

Plaza de Armas
Catedral Metropolitana de Santiago
Catedral Metropolitana de Santiago
Catedral Metropolitana de Santiago

 

O mercado Central de Santiago  é um local tradicional de visitação. Particularmente, não achei muita graça, é pequeno, vende muito peixe, frutas, aquelas coisas de mercado. O que achei de mais interessante foram umas lojinhas de lembrancinhas locais que tinham lá dentro. Compramos umas besteirinhas, os preços eram legais. Nós fomos mesmo porque era caminho, mas se não tiver tempo e não curtir mercados, pode pular essa visita.

Mercado Central de Santiago

O Museu Nacional de Belas Artes foi nossa próxima visita e tivemos uma excelente surpresa com ele, sendo uma das atrações culturais que mais gostamos de conhecer.  Fica situado no Parque Florestal, que é um local belíssimo, assim como os diversos parques que a cidade Chilena possui. A estrutura interna do museu é muito bem conservada e de uma beleza única! As obras de arte são super interessantes, diversificadas e há várias exposições. A entrada é gratuita e é aberto de terça à domingo, a partir das 10h.

Museu Nacional de Bellas Artes de Santiago.
Museu Nacional de Bellas Artes de Santiago.
Museu Nacional de Bellas Artes de Santiago.
Parque Florestal

 

Nosso próximo destino foi o Cerro Santa Lucía, uma visita imperdível para quem vai turistar na cidade. O local tem uma importância histórica em Santiago, foi onde  o conquistador Pedro de Valdivia estabeleceu seu acampamento antes de fundar Santiago. O morro foi utilizado como fortaleza e mirante durante um longo período de guerras e a conquista da capital Chilena. O cerro tem 69m de altura e é onde temos uma das vistas mais lindas de Santiago. Agora se prepara para a escadaria tá?! rsrsrs. Com disposição e calma você chega até o alto, mas durante as subidas há vários mirantes com vistas incríveis da cidade e da Cordilheira ao fundo, uns banquinhos para descansar. O dia que fomos estava lindo, com um céu azul incrível e com uma vista da Cordilheira inesquecível! Realmente é um lugar para você ir com tempo, curtir o visual e se apaixonar mais ainda por Santiago :heart:

 

Cerro Santa Lucía
Vista do Cerro Santa Lucía
Vista do Cerro Santa Lucía
Registro em uma das inúmeras escadarias do Cerro Santa Lucía

 

Depois de fazer todo esse circuito (era cerca de 14:30), partiu comer né? :biggrin: Fomos caminhando até o restaurante Como Água para Chocolate em Bellavista. Pra você que não viu as dicas do restaurante, clica aqui e confere o post.  Super pertinho dele, fica a La Chascona, nosso próximo destino do dia!

A La Chascona é uma das três casas de Pablo Neruda (as outras ficam em Valparaíso e Isla Negra), escritor chileno, sendo um dos poetas mais importantes da língua castelhana do século XX .Erguida em 1953 para sua terceira mulher, Matilde Urrutia, o local abriga um museu com salas que recriam os antigos ambientes da casa. Entre os atrativos, estão móveis e objetos da época que retratam toda a história de Pablo Neruda. É simplesmente incrível, um dos melhores lugares que conheci em Santiago, através de um áudio-guia (tem em português) você vai acompanhando em cada cômodo das casas os principais fatos referentes à vida do autor e a construção da La Chascona. É sensacional, você se sente dentro da história mesmo podendo ver de pertinho tudo que é retratado. Garanto que não tem como sair dali e não gostar da visita! Amei cada segundo. A entrada custa 7000 pesos (cerca de 35 reais) e funciona de terça à domingo, a partir das 10h. Chegamos lá sem reserva e entramos na mesma hora. 

La Chascona vista de fora (não pode tirar fotos dentro da casa)
La Chascona – uma das escadas que conectavam as várias partes da casa
La Chascona
La Chascona

 

Finalizando o dia, foi hora de conhecer o Cerro San Cristóbal, que fica bem próximo a La Chascona. Ele tem várias entradas, basta você escolher a que fica mais próxima de onde estiver. O Cerro faz parte do Parque Metropolitano de Santiago e é o segundo ponto mais alto da cidade. Dá pra imaginar então a beleza de vista que se tem né? :heart: Fomos no final do dia para aproveitar o pôr-do-sol e ter uma vista mais privilegiada ainda de Santiago.  O modo mais fácil e legal de subir o Cerro é de funicular (a entrada da rua Pio Nono dá bem na frente dele), mas também tem quem suba pé, de bicicleta (haja fôlego viu?!).  O funicular funciona, no inverno, de terça a domingo das 10h às 18h45 e nas segundas, das 13h às 18h45 (no verão fecha 1h mais tarde). O preço da entrada varia de acordo com os dias da semana e com o trecho que for fazer, nesse site tem a tabela com todos os valores. Como o parque tem várias entradas nós chegamos pela Bellavista e queríamos depois voltar para o apartamento na Providência. Dessa forma, o rapaz da informação turística recomendou comprar apenas o trecho de ida, pois iríamos chegar exatamente na Providência. Caso você queira voltar para a Bellavista ou proximidades, compra a ida e volta. Lá de cima a vista é maravilhosa e vale lindos registros. No ponto mais alto do parque está o Santuário da Imaculada Conceição, um lugar de energia única, que transmite uma paz, é realmente muito bonito.

Funicular- Foto retirada do Tripadvisor
Aquele pôr-do-sol especial no Cerro San Cristóbal
Do alto do Cerro San Cristóbal
Cerro San Cristóbal, lugar com uma energia muito boa e uma paz única!
Cerro San Cristóbal
Cerro San Cristóbal
Santuário da Imaculada Conceição no Cerro San Cristóbal
Santuário da Imaculada Conceição no Cerro San Cristóbal

O teleférico foi reinaugurado depois de 6 anos fechado, desde o terremoto de 2010. Então, quem não conheceu e tiver uma nova oportunidade, recomendo demais!! Foi uma delícia o passeio, o percurso de ida e volta tem pouco mais de 2km e demora 15 minutos. São três estações:  a Oasis (na rua Pedro de Valdivia, na Providência), a Tupahue (perto da piscina pública) e a Cumbre (no bairro de Bellavista e próxima à Virgem). Pegamos o teleférico na Cumbre e ele para na Tupahue, onde você tem a opção de descer se quiser. Continuamos o percurso até a última estação, a Oasis, onde descemos. Simplesmente deslumbrante o visual que temos da cidade, é um passeio imperdível.

Teleférico no Cerro San Cristóbal
Vista de dentro do Teleférico
Vista do pôr-do-sol no Teleférico

Esse dia foi incrivelmente especial, conhecemos os principais lugares de Santiago e como vocês puderam observar, fizemos tudo a pé. Tivemos uma sorte boa, o dia estava maravilhoso, um céu azul lindo e aproveitamos bem. Gastamos pouco nas atrações que visitamos, a maioria dos lugares foram gratuitos. Aqui embaixo vai o mapa do caminho que percorremos e que pode ajudar vocês para se organizarem.

Mapa do roteiro a pé. 1. Centro Cultural Palácio La Moneda/ 2. Palácio de La Moneda/ 3. Rua Augustinas (câmbio)/ 4. Plaza de Armas/ 5. Mercado Central/ 6. Cerro Santa Lucía/ 7. Como Água para Chocolate/ 8. La Chascona/ 9. Cerro San Cristóbal

 

3º dia- Nossa manhã desse dia foi dedicada a visitar a vinícola Concha y Toro. Antes de viajar, vi que era indicado reservar a visita. Fizemos isso pelo site da vinícola, porém mudamos nossa programação quando chegamos em Santiago e ai alteramos o dia da ida a Concha y Toro. A vinícola têm tours em português, espanhol e inglês. Como fizemos um novo agendamento na véspera da visita, tinha apenas disponível em espanhol (em vários horários) e por isso escolhemos assim mesmo. Quando chegamos lá tentei arriscar e perguntei a funcionária se tinha em português e havia disponibilidade pra o próximo horário. Então a dica é que se você não conseguiu reservar, alterou seus planos, esqueceu ou o que seja, dá sim pra tentar reservar pelo menos em espanhol e tentar trocar por português quando chegar na vinícola, pois sempre há desistências.

Indico fazer a visita sem tour por agência. Particularmente, acho o valor cobrado muito alto (em torno de R$100,00, fora a entrada da vinícola) e o acesso a Concha y Toro é bem fácil. Fomos de metrô utilizando a linha 4 (azul), até a Estação Las Mercedes. Chegando na estação, pegue a saída “Concha y Toro Ocidente”. Nosso percurso, saindo da Estação Los Leones na Providência durou cerca de 1h. Ao chegar na estação você pode esperar passar um táxi ou então ir no ponto que tem no shopping ao lado. Realmente, economizamos bastante fazendo esse tour sem agência. A entrada da vinícola custa 12mil pesos por pessoa (cerca de 57 reais) e gastamos uns 35 reais de táxi (ida e volta), dividindo pra 2 pessoas. Então foi uma economia de praticamente 100 reais.

O tour que escolhemos fazer foi o tradicional. Tem um tour mais especializado que inclui uma degustação a mais e também uma tábua de queijos finos selecionados. O site da vinícola é bem informativo e detalhado, lá você tira todas as dúvidas sobre os tours e eles também indicam direitinho como chegar lá. Sobre o tour: eu não bebo, apenas meu noivo, mas mesmo assim amei conhecer a vinícola, foi um passeio maravilhoso. A história da vinícola é bem interessante e a paisagem é encantadora. O tour é todo explicadinho, o guia era um brasileiro ótimoo, e a parte da visita a adega Casillero Del Diablo é nota 10! São 2 degustações de vinho, um branco e um tinto, meu noivo adorou! No final é apresentada a lojinha com várias opções de vinho e de acessórios para ele.

Na entrada da Concha y Toro
Casa onde a família Concha y Toro passava as férias antigamente, hoje em dia é a administração da vinícola.
Entrada da Concha y Toro
Degustação na Concha y Toro
Nos vinhedos da Concha y Toro
Nos vinhedos da Concha y Toro
Casillero del Diablo
Casillero del diablo

Fomos almoçar e conhecer o shopping Parque Arauco e nos surpreendemos com a estrutura do lugar. É um ambiente muito agradável na área dos restaurantes e com muitas opções para todos os gostos. Tem uma quantidade grande de lojas e a dica pra quem for comprar ou ir em restaurantes, é passar logo no balcão de informações e solicitar o guia de descontos para turistas estrangeiros. Têm descontos excelentes e vale a pena para quem tiver interesse em comprar. 

Shopping Parque Arauco

Na frente do shopping fica o Parque Araucano, um dos parques mais conhecidos de Santiago. É maravilhoso, enorme e muito bem conservado. Vale demais conhecer!

Parque Araucano
Parque Araucano
Parque Araucano
Parque Araucano
Parque Araucano
Parque Araucano

 

4º dia- Iniciamos o dia indo na feirinha do Cerro Santa Lucía, que tinha visto ser bem indicada, mas quando chegamos no local estava tudo fechado.

Partimos para o Centro Artesanal Los Dominicos, que fica ao final do metrô linha 1 – Estação Los Dominicos.  Possui mais de 100 lojinhas com todo tipo de artesanato e achei o local excelente, super organizado, bonitinho e com um preço. Sem dúvida, o melhor lugar para você levar uma lembrancinha da cidade. Muito legal mesmo, indico demais para quem visitar a cidade. Além disso, possui umas salinhas de exposições, lanchonetes e artistas locais tocando músicas.

Exposição de bonsais no Centro Artesanal Los Dominicos

Fomos almoçar e conhecer o bairro Itália, um bairro bem diferente das outras regiões de Santiago. Possui diversas galerias com lojinhas de todo tipo de arte, com designs bem diferentes, vendendo bolsas, roupas, móveis, acessórios, enfim, tem de tudo por lá. Se você tiver com tempo de sobra para encaixar no seu roteiro acho que vale a pena! Caso não, particularmente, considero uma visita dispensável.

O nosso próximo destino foi o Sky Costanera, onde temos uma das vistas mais lindas da capital do Chile. É um mirante localizado no edifício mais alto da América Latina, a 300m de altura e instalado no 61º andar. O horário mais interessante de visitar é no fim da tarde, pois pode se ter diferentes vistas da cidade. Tivemos o privilégio de uma vista sensacional de Santiago, emoldurada pela Cordilheira e com um pôr-do-sol inesquecível :heart: A entrada custa 10mil pesos chilenos para adulto, mas fica a dica que eles aceitam carteira de estudante nacional, e o preço fica 7mil pesos chilenos.

 

Vista do Sky Costanera, da cidade de Santiago emoldurada pela Cordilheira dos Andes
Vista da cidade de Santiago emoldurada pela Cordilheira dos Andes, no Sky Costanera
Pôr-do-sol no Sky Costanera
Sky Costanera
Sky Costanera
Aquele pôr-do-sol que a gente respeita e agradece! :heart:

 

5º dia- O último dia de passeios foi mágico e imensamente especial! O dia que eu e meu noivo vimos neve pela primeira vez, um sonho que quase todo mundo deve ter né. Não estava na nossa programação inicial, pois fomos na segunda quinzena de maio que normalmente não tem nenhuma neve na Cordilheira. 1 semana antes da nossa chegada em Santiago vimos que começou a cair neve por lá e começamos a nos animar! Tivemos que retirar do roteiro nossa ida a Viña del Mar e Valparaíso porque não daria tempo, e preferimos substituir por nossa ida a Cordilheira, já que não é sempre que se tem essa oportunidade de ver a neve .

Primeiramente, não indico de maneira nenhuma fazer esse passeio por conta própria, a estrada é bem perigosa e possui muita neve no caminho, tem que ser uma agência com experiência para que seja tudo tranquilo. Através de algumas pesquisas e por minha irmã já ter ido com essa empresa, escolhemos a Snowtours para nossa ida às estações de Valle Nevado e Farellones. Pagamos cerca de 23mil pesos chilenos e a van da empresa busca onde estiver hospedado. O passeio sai logo cedo às 7:30 e volta umas 16h. A Snowtours leva os passageiros para a agência deles antes da subida às estações, pois lá podemos alugar as roupas e acessórios para a neve, o que eu recomendo fortemente! São roupas de fato apropriadas para molhar e com tecido especial para aquecer, não adianta achar que qualquer casaco é suficiente. Alugamos o casaco, calça, luvas e sapato e tudo ficou, mais ou menos,100 reais pra cada um. Já saímos de lá prontos pra o frio! Tivemos uma experiência ótima com a agência e indico com certeza, super seguro, o pessoal muito atencioso e a guia que nos acompanhou era uma simpatia e durante todo o caminho foi nos contando sobre vários fatos de Valle Nevado, Farellones, Santiago, enfim, foi show!!

Dica importantíssima: se você é como eu, que enjoa com qualquer coisa, recomendo tomar um remédio para enjoo antes mesmo de iniciar a subida. O Valle Nevado fica a 3.000 metros de altitude, são 40 curvas acentuadas até chegar em Farellones e mais 20 curvas até o Valle Nevado. Experiência de uma criaturinha que enjoa muito: evitem olhar muito pela janela, melhora a sensação de enjoo ou tontura. Também é bom se hidratar bastante e não comer muito antes da subida.

Estrada para chegar às Estações de Esqui

Fomos em um período em que a temporada de neve ainda não estava iniciada, as estações de esqui não estavam com suas atividades em funcionamento, de fato iríamos para conhecer a neve e passear por lá. Durante a temporada, Valle Nevado é mais interessante para quem quer a experiência de esquiar, pois não há outras atividades mais simples para quem deseja se divertir de outra forma, e a área praticamente toda onde fica concentrada a neve é fechada apenas para quem for esquiar, então nem acesso legal você tem.  Somente pode ficar na parte de restaurantes, loja, sem aquele contato real com a neve. E se você quiser esquiar, recomendo olhar os preços (bem salgados!) e preparar o bolso. Em Farellones há atividades mais atraentes para você que quer apenas brincar na neve, como o tubing (uma bóia que você vai escorregando na neve), tirolesa, teleférico e todo o livre acesso a área da neve. E preço é bem mais amigável, você pode conferir aqui. Ainda, também há pistas de esquis mais focadas para iniciantes. Por isso, dependendo da sua pretensão, acho muito corrido visitar as 2 estações no mesmo dia, termina que você não consegue aproveitar bem nenhuma das duas, assim, indico que busque uma empresa que faça o passeio a Valle Nevado ou Farellones.

No nosso caso, fomos visitar as duas estações, pois não havia atividades abertas em nenhuma delas. Primeiro fomos à Valle Nevado, onde tivemos uma experiência única, pois pudemos ter acesso a área da neve onde somente os esquiadores têm acesso na temporada de inverno. De lá, tivemos o privilégio de um visual deslumbrante e nos divertimos muito brincando na neve. Me senti uma criança e realizei um sonho, foi maravilhoso! Partimos para Farellones, onde almoçamos no restaurante de lá, e, pra muita sorte nossa, o teleférico da estação já estava aberto. Poucas vezes na vida senti uma paz tão grande quanto naquele lugar. Havia pouquíssima gente em Farellones (que assim como outras estações, lota em temporada de inverno aberta), todas as cadeirinhas do teleférico estavam vazias e o silêncio era absurdamente maravilhoso. E aquela imensidão de neve em nosso horizonte! Sem palavras sabe? Uma sensação única!

No meio do caminho para Valle Nevado, a van parou em um mirante para tirarmos algumas fotos. Paisagem linda!
Valle Nevado
Valle Nevado, tivemos acesso a toda área de neve
Hotéis na Estação de Valle Nevado
Olha a alegria da criaturinha na neve! :biggrin:
Olha a alegria da criaturinha na neve! (2) :biggrin:
Farellones
Farellones
Teleférico em Farellones
No teleférico nota 1000!

 

6º dia– Partimos para Puerto Varas, fomos de uber para o aeroporto. Dica: saia com bastante antecedência, o waze indicou um certo tempo para chegar ao aeroporto, porém, aconteceu um acidente no meio do caminho e o trânsito estava fenomenal! Melhor se precaver.

Espero que tenham gostado das dicas, até o próximo cantinho no mundo!

Laís  

Já curtiu nosso instagram para acompanhar mais dicas? Clica aqui! ;)

Quer ajudar nosso blog? Faz a reserva pelo Booking clicando aqui ou na caixa de pesquisa ao lado! ;)

28 Replies to “Santiago – Conhecendo a Capital Chilena

  1. Nossa… adorei ler esse post. Acabei de voltar do Chile e simplesmente me apaixonei por esse lugar lindo. Deu para matar a saudade lendo esse texto. Bjs

  2. Que delícia seu roteiro ! E como estava limpo o céu no Cerro! Quando eu fui havia um fog forte do inverno mas ainda asssim achei espetacular! Sou suspeita a falar de Santiago pois amo essa cidade <3

    1. Oi Maíra!! Verdade, tive sorte de ter um dia de céu azul, coonseguimos ver bem a cidade! =) Também amei a cidade! ^^
      Obrigada pelo comentário!

    1. Que bom que você gostou Lorena! É ótimo ter esse retorno quando a gente tá começando 😀 E simmm, você consegue visitar as principais atrações em pouco tempo!! você vai adorar com certeza 😀 Seu blog tá lindo e completinho, já visitei ele! ^^ bjs e obrigada!!

  3. Que delícia de roteiro! Super completo!
    Fui à Santiago há um tempinho já, mas amo aquela cidade. Gostei demais do roteiro que você fez e fiquei morrendo de vontade de voltar!
    Obrigada por compartilhar conosco!

    1. Que bom que gostou Francisco! Vocês aproveitaram bastante então, espero que na próxima minhas dicas te ajudem. Muito obrigada! =)

  4. La Chascona é meu lugar preferido em Santiago! Quase sempre a visito quando estou na cidade. O lugar é mesmo incrível.

    Me diga, agora a visita é feita com áudio guia?! Em todas as vezes em que lá estive era um guia que nos conduzia pela casa, contando histórias.

    Vocês aproveitaram bem a cidade né?! :)

    1. Ana Luiza, fiquei encantada com a La Chascona!
      Sim, a visita é feita com áudio guia e achei a ideia ótima, pois o áudio explica super direitinho toda a história, e de acordo com o cômodo que você está é só colocar o número que ele conta todos os detalhes. Bom que você fica super a vontade.
      Aproveitamos sim, já com vontade de voltar! =)
      Obrigada pela visita!

  5. Gostei de conhecer Santiago. Infelizmente não andei no teleférico para subir o Cerro San Cristóbal porque foi no dia que ele está em manutenção, talvez isso tenha perdido um pouco da graça.
    Adorei Patio Bellavista, tanto pelo clima, como pelos restaurantes. Excelente.

  6. Noooossa, tá bem detalhadinho! Morro de vontade de ir, primeiro porque meu marido diz que foi uma das cidades que ele mais gostou na América do Sul. E agora com esse post… definitivamente tenho de ir!

  7. Como morador de Santiago digo que viveu esses poucos dias como turista e caiu em pegadinha de chileno,como sempre falo no mochileiro, aonde descobri o endereço. Mercado,é concha y toro São excelentes exemplos.Mas o que vale é que gostaram da minha cidade adotiva.

    1. Olá Fabiano! Concordo que o mercado é pega turista, tanto é que disse que fui porque eu passei na frente durante meu trajeto. E acho que não dá pra generalizar, depende do programa que cada um gosta de fazer, o que é legal pra você pode não ser pra mim, entendeu? Eu curto programas turísticos que mostrem coisas boas da cidade, e foi isso que eu tive por lá. Minha ideia não era viver o dia a dia denum chileno. Obrigada pela visita! 😉

    1. Olá Aline! Que maravilha que você vai pra Santiago, tenho certeza que vai adorar. Espero que tenha uma excelente viagem =) Obrigada a você pelo comentário e fico feliz em contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

:alien: :angel: :angry: :blink: :blush: :cheerful: :cool: :cwy: :devil: :dizzy: :ermm: :face: :getlost: :biggrin: :happy: :heart: :kissing: :lol: :ninja: :pinch: :pouty: :sad: :shocked: :sick: :sideways: :silly: :sleeping: :smile: :tongue: :unsure: :w00t: :wassat: :whistle: :wink: :wub: